Image
E014
Susana Carreiras

_

10.11.2020

Em Novembro de 2020 tive esta conversa com a Susana Carreiras. A Susana vive na selva peruana a cerca de 9000 kms de distância de Portugal. A importância do trabalho desta designer nascida em terras minhotas está na proximidade que estabeleceu com as comunidades indígenas, com a sua história, cultura, hábitos e vivências ancestrais. 

Um dos principais projectos que a Susana tem em mãos é a realização de um dicionário de símbolos Shipibo-Konibo. Um trabalho de pesquisa e investigação ao longo do rio Ucayali na floresta amazónica.

Sabemos que o mundo está cada vez mais formatado e concentrado na parcialidade de um pensamento tipo. É, também por isso que sinto que este é um testemunho de enorme valor. 

Não havendo uma opção mais válida do que outra, claro, a acção da Susana mostra-nos como o alcance do design está muito para além da espuma dos dias das identidades visuais e dos kernings desta vida.


Bio:

Susana Carreiras nasceu em Viana do Castelo em 1990. É licenciada em Design de Comunicação pela ESAD-Matosinhos. 

Entre 2005-2013 desenhou peças gráficas para as promotoras musicais Lovers and Lollypops e Amplificasom. Em 2015 colaborou com o estúdio de serigrafia e gravura Tintaentera em Zaragoza e fez parte de um atelier feminista no Centro Social Okupado Kike Mur. Em 2017 com Inés Ballesteros deu um workshop de fanzines no Festival Feminista do Porto. Entre 2016-2017 trabalhou como designer gráfica no centro de investigação esad—idea em Matosinhos onde ganhou experiência com montagem de exposições na Casa do Design; foi assistente editorial de José Bártolo na edição da revista PLI N.º 6; desenhou o livro Carlos Queiroz - Retrato de um poeta feito pelos seus amigos de Maria Bochicchio; e o catálogo da exposição Alberto Carneiro 1937–2017. Em colaboração com Inês Nepomuceno destaca-se o desenho do livro A biorregião Urbana de Alberto Magnaghi, a monografia Pádua Ramos; e a imagem das exposições: Play-Time, Design Industrial para a Vida ModernaDiscos Orfeu 1956—1983 - Imagens, Palavras, Sons; e a imagem da Design Objects Conference. Ainda em 2017 com João Faria desenhou o livro comemorativo do Festival Curtas Vila do Conde25 Anos, 25 Histórias. Em 2018 mudou-se para a Amazônia Peruana, onde vive e coordena um projeto de empoderamento juvenil na Ong Alianza Arkana dando aulas de design e obra gráfica a um grupo de jovens artistas indígenas Shipibo-Konibo. É nos grafismo [kené] e na cultura dessa etnia que enfoca a sua investigação e reafirma o papel do designer enquanto investigador e produtor de conteúdos trabalhando em co-autoria com os nativos destas comunidades naquilo que será um dicionário de símbolos Shipibo-Konibo. 

Image
Image
Image
Image
Image
Image